Depoimento: Meditação me libertou de rótulos, mágoas e estresse

Para começar a meditar só precisei de uma coisa: nada. Entenda melhor

A paz que reside em você

Paz. Ô palavra requisitada, bem-quista, adorada e aclamada. Até guerra se faz em nome dela, não é mesmo? Mas o que a gente, de fato, faz para promover a paz? A partir de uma determinada época da minha vida, as pessoas passaram a me rotular como calma, fofa, alguém que ajudava e escutava os outros… Para alguns, eu era até uma espécie de carregador de bateria,esponja ou bengala. Nesse processo, obviamente, boa parte da minha própria energia ia embora, mas dificilmente despejava tudo o que retia em mim nas pessoas ao meu redor. No entanto, meu sono e minha alimentaçãoforam os mais prejudicados… Nada em equilíbrio. E o que percebo, hoje, é que eu podia até ser “fonte de paz” para as pessoas, porém, eu mesma pouco bebia dela.

Nunca me vangloriei por isso, tampouco queria que as pessoas fossem iguais a mim (não mesmo). Sempre admirei os que conseguem impor limites. No entanto, de certa forma, sempre que via ou ouvia grandes discussões ou brigas, agradecia por não ser esse tipo de pessoa. Sempre muito observadora, o que eu já percebia naquela época (e hoje é bem claro para mim) é que O problema não são as demandas, os sentimentos e nem os diálogos internos, mas a identificação que criamos com eles.

O problema não são as demandas, os sentimentos e nem os diálogos internos, mas a identificação que criamos com eles.

A cola que insistimos em retocar sempre que eles já estão querendo nos abandonar. É essa sujeira que insistimos em colocar embaixo do tapete, em vez de jogar no lixo.

Só que não parece simples colocar um ponto final nesse nosso hábito, né? Bom, há quatro anos a Meditação – atrelada a técnicas de respiração e Yoga – tem se mostrado um caminho para mim. O simples ato de sentar com os olhos fechados por alguns minutos e simplesmente deixar ir… Não é parar de pensar, entende? É dar boas-vindas aos pensamentos e deixá-los ir.

Meditação é a arte de não fazer nada

Existem vários tipos de meditação, e na Arte de Viver. Afinal de contas, uma pessoa que dedica a sua vida para compartilhar conhecimento e técnicas, com tanta leveza, é digna de muita admiração.

Existe, sim, um caminho do meio. Ou melhor, existe um caminho diferente daquele que eu não queria seguir de jeito nenhum e daquele que eu sabia não ser o correto e nem o saudável a continuar traçando. E o Guruji, como chamamos internamente o fundador da Arte de Viver, é esse meu exemplo maior. Imagine alguém que resolve assumir a simples missão de levar paz a todo o planeta – “um sorriso que não seja frágil a todas as pessoas”, nas palavras dele. Alguém leve, amoroso e atencioso com todas à sua volta. Uma pessoa que viaja o mundo como peça chave para a mediação de conflitos em países como Iraque, Sri Lanka, Costa do Marfim, Colômbia. E, ao mesmo tempo, é capaz de atos como rolar na areia da praia de Copacabana, saltar de asa delta e brincar de guerra de tintas coloridas. Ele, sim, é fonte de paz, uma voz pela paz, a paz em movimento lutando com armas brancas para transformar e gerar alívio a todos sem discriminação.

Em tempos de ódio e intolerância, talvez a Meditação possa ser uma ferramenta para ajudar as pessoas a desapegarem do que parece estar grudado nelas.

Em tempos de ódio e intolerância, talvez a Meditação possa ser uma ferramenta para ajudar as pessoas a desapegarem do que parece estar grudado nelas.

Muita gente levanta a bandeira da paz, mas ainda não sabe o que isso significa. É como se estivéssemos presos à famosa frase: “faça o que digo, mas não faça o que eu faço”. Como cobrar dos governantes atitudes que nós mesmos não temos? Nem nos importamos com o nosso vizinho… Como alguém vai criar leis para os menos afortunados, sem ter compaixão,preso dentro do seu egoísmo, lutando para lidar com as suas próprias demandas e desejos? Como pedir a alguém para ser menos violento, se existem marcas de violência dentro dele? Existem pessoas que se importam com isso e estão rodando o mundo para levar alívio e conhecimento a quem quiser receber. E nós? O que, minimamente, estamos fazendo? Nem de nós mesmos estamos cuidando… Talvez 20 minutos de olhos fechados possa ser um bom começo, não é mesmo?

Meditação para iniciantes

Ficou com vontade de experimentar uma Meditação? Escute um dos áudios abaixo por pelo menos 21 dias consecutivos. As Meditações são guiadas pela terapeuta holística Regina Restelli e pela terapeuta energética Ceci Akamatsu. Você só precisará dar o play, fechar os olhos e começar.

Se depois de 21 dias você avaliar que a experiência foi boa, continue aumentando a quantidade de minutos e, assim, quem sabe, você se habitue ao bem-estar desta experiência.

Meditação matinal

Meditação para fazer enquanto dirige

Meditação para fazer na volta do trabalho

Meditações para concentração e estresse

Fabiana Garcia

Fabiana Garcia

Fundadora da Parceria Humana Mindfulness e psicóloga. Instrutora Sênior em Mindfulness, certificada pelo MTI (Mindfulness Trainings International). Experiência há mais de 15 anos na área de Gestão e Recursos Humanos, com foco em autoconhecimento, desenvolvimento pessoal e profissional. Email: fgarcia@parceriahumana.com.br 
Parceria Humana

Parceria Humana

Tem como missão contribuir para que qualquer indivíduo acesse a si mesmo de forma simples e natural, através das práticas Mindfulness, visando uma vida mais plena.